Esclerose Múltipla

REBIF ® – Interferon beta 1a

O ingrediente ativo de Rebif ® – Interferon beta 1a é o interferon beta-1a recombinante humano. É uma medicação eficaz, segura e com longo tempo no mercado. Uma meta-análise recente a apontou como o interferon mais potente para esclerose múltipla. É uma medicação de primeira linha de tratamento.

Tipo: imunomodulador

Uso: injetável, subcutâneo

Frequência: 3 vezes por semana

Dose: 22 e 44 mcg

Mecanismo de ação: O interferon beta recombinante-la (r-IFN-beta-1a), além da ação antiviral, possui intensa ação imunomoduladora aumentando a atividade das células NK (natural killer) assim como um efeito antiproliferativo, inibindo o crescimento celular.

Evidências científicas:
O Rebif mostrou eficácia em dois estudos clínicos (PRISMS e EVIDENCE) mostrando que:
•    Desacelera a progressão da incapacidade;
•    Diminui a taxa de surtos;
•    Diminui o número de lesões ativas medidas por Ressonância Magnética de cabeça.

Efeitos colaterais:
A maioria dos pacientes apresentam efeitos colaterais nos primeiros 3 meses de tratamento. Após esse período a grande maioria dos efeitos colaterais deve ter terminado ou estar contornável. Em estudos clínicos aproximadamente 5% dos pacientes interrompem o tratamento por causa de efeitos colaterais. Entretanto os efeitos colaterais, apesar de mais frequentes no início do tratamento, podem ocorrer em qualquer momento da doença, tais como:
•    Inflamação, dor e necrose no local da injeção;
•    Sintomas tipo gripe (flu-like): dor no corpo, febre, calafrios;
•    Depressão;
•    Alterações do ciclo menstrual;
•    Aumento de enzimas hepáticas.

Alertas:
•    Recomenda-se a suspensão durante a gestação por falta de evidências conclusivas a respeito de sua segurança;
•    Recomenda-se a suspensão durante a amamentação;
•    Pacientes com depressão ou pensamentos suicidas devem entrar em contato imediato com seu médico;
•    Recomenda-se medições trimestrais de enzimas hepáticas e hemograma com plaquetas.

Interações:
•    Corticoesteróides;
•    Ácido Acetilsalicico;
•    Inibidores da prostaglandina sintetase;
•    Recomenda-se o uso do paracetamol no caso do uso de antipiréticos.

Contra-Indicações:
•    Alergia à interferon beta;
•    Alergia à albumina humana;
•    Insuficiência hepática;
•    Insuficiência renal.

 

Conheça os outros tipos de tratamento de Esclerose Múltipla, clique aqui.

Envie seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

Fale com o Dr. Guilherme

+55 11 3052.1895
drguilhermesolival@gmail.com

HOSPITAL ISRAELITA ALBERT EINSTEIN

Av. Albert Einstein, 627 – bloco A1 220
Morumbi, São Paulo, SP – 05651-901
+55 11 2151.3220

Centro de Esclerose Múltipla São Paulo

Rua Santa Cruz, 722 Conjunto 610
Vila Mariana  CEP 04122-000, São Paulo, SP
+55 11 3052.1895

© Copyright 2015 - Todos os direitos reservados