Esclerose Múltipla

10 exames de Esclerose Múltipla feitos com escala de aferição

Saiba como é feita a avaliação de lesões, incapacidade e restrições de habilidades em Esclerose Múltipla

Escalas de aferição são recursos com os quais um neurologista obtém dados de  pacientes com Esclerose Múltipla para avaliação de estabilidade ou piora de sintomas. Elas servem para avaliação global e comparação entre períodos diferentes do paciente e até entre outros pacientes (em casos de pesquisas apenas).

O neurologista compara estes dados com informações de outros exames, assim, gera melhores diagnósticos e tratamentos personalizados aos pacientes.

10 exames de Esclerose Múltipla feitos com escala de aferição

10 exames de Esclerose Múltipla feitos com escala de aferição

Existem inúmeras escalas de aferição. Entre as mais utilizadas estão:

•    Escala do Status de Incapacidade Expandida (leia mais)

•    MSFC (Multiple Sclerosis Funcional Composite Measure)

•    Escala de Depressão de Beck

•    Escala de Ansiedade de Beck

•    Escala de Guy

•    Escala de Severidade de Fadiga

•    Mini Mental

•    Escala de Wingerchuck

•    Índice Ambulatorial

•    Escala de Incontinência urinária

Lembre-se de que esses testes são de triagem e para auxiliar. Por isso, você deve procurar um neurologista que realize outros exames além destes para que possam ser comparados e para que se possa obter um diagnóstico preciso e um tratamento mais eficaz.

Até breve!

Dr Guilherme Sciascia do Oilval, CRM 135992

Bibliografia
FISCHER JS e col. The multiple sclerosis functional composite measure (MSFC): na integrated approach to MS clinical outcome assessment. National MS Society clinical outcomes assessment task force. Acesso em 21 de março de 2014.
JACK C. e col. A neurologic rating scale (NRS) for use in multiple sclerosis. Neurology. Acesso em 21 de março de 2014.
KURTZKE apud SOCIEDADE PORTUGUESA DE ESCLEROSE MÚLTIPLA. Escala expandida do estado de incapacidade. Sociedade Portuguesa de Esclerose Múltipla. Acesso em 21 de março de 2014.
TILBERY, Charles Peter. Esclerose Múltipla no Brasil: aspectos clínicos e terapêuticos. São Paulo: Editora Atheneu, 2005.

'10 exames de Esclerose Múltipla feitos com escala de aferição' há 5 comentários

  1. 6 de junho de 2014 @ 15:23

    gostei muito , gostaria de receber mais informação sobre a esclerose multipla ; eu sou portador .

  2. 22 de março de 2015 @ 22:51

    Boa noite Dr. Guilherme.
    Sou fisioterapeuta de um paciente portador de E.M., gostaria de saber se é possível no exame de tomografia e ressonância a doença desaparecer.

    • 8 de junho de 2015 @ 21:03

      Olá Rosemar, na medicina e no amor, nem diga nunca nem diga sempre. Apesar de ser possível algumas lesões de esclerose múltipla sumirem esse é um fato raro. Existe a possibilidade também das ressonâncias terem sido realizadas em máquinas diferentes, com potências diferentes e existe a possibilidade do diagnóstico ter sido dado erroneamente no início. Precisa olhar com calma um caso desses.
      um abraço

  3. 21 de janeiro de 2016 @ 20:04

    Dr. Guilherme.
    Por favor me indique onde se faz o exame de EDSS, Já liguei em diversos laboratórios e ninguém sabe informar.
    Por favor me ajude. Só posso receber o remédio apresentando esse exame, e não consigo fazer.
    Att.
    Silvia

    • 20 de abril de 2016 @ 19:31

      Olá Silvia, quem faz esse exame é o médico neurologista durante a consulta. Grande abraço e boa sorte!

Envie seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

Fale com o Dr. Guilherme

+55 11 3052.1895
drguilhermesolival@gmail.com

HOSPITAL ISRAELITA ALBERT EINSTEIN

Av. Albert Einstein, 627 – bloco A1 220
Morumbi, São Paulo, SP – 05651-901
+55 11 2151.3220

Centro de Esclerose Múltipla São Paulo

Rua Santa Cruz, 722 Conjunto 610
Vila Mariana  CEP 04122-000, São Paulo, SP
+55 11 3052.1895

© Copyright 2015 - Todos os direitos reservados